skip to content
É a Gota D’Água + 10

É a Gota D’Água + 10

Em 15 de novembro de 2011, foi lançado um vídeo  manifesto, É a Gota D’Água, questionando a maior e mais polêmica obra do Programa de Aceleramento do Crescimento (PAC) do governo brasileiro: a Hidrelétrica de Belo Monte no Pará, que custou mais de R$ 30 bilhões e tem sua eficiência questionada por especialistas.

O Xingu é um rio de grandes variações e durante oito meses por ano praticamente seca. O rio também guarda a maior sociobiodiversidade da Amazônia. Em uma semana, a campanha reuniu um milhão de assinaturas e entrou para história da Internet.

 

O clamor do Xingu ecoa na Sapucaí

O clamor do Xingu ecoa na Sapucaí

Uma Gota no Oceano pede passagem para agradecer à Imperatriz Leopoldinense, escola de samba nota 10 em empatia, generosidade e consciência socioambiental, por levar a causa indígena à Sapucaí, em forma de cor e poesia, com o enredo “Xingu, o clamor da floresta”.

A gente certamente fala também em nome dos 870 mil indígenas dos mais de 230 povos do Brasil, que tiveram a oportunidade de apresentar ao mundo as suas reivindicações e a sua cultura.

Para além do desfile histórico, que contou com presenças de importantes lideranças como os caciques Raoni e Megaron, ao cantar o Xingu a Imperatriz ajudou a esquentar o debate sobre desenvolvimento sustentável, preservação do meio ambiente, demarcação de Terras Indígenas e mudanças climáticas.

Agora o povão já sabe: mexeu com o índio, mexeu com o clima!

O que o índio quer?

O que o índio quer?

“Há direitos diferentes para os diferentes e essa é a melhor maneira de se fazer justiça”. O antropólogo Antônio Carlos Souza Lima fala da importância dos direitos assegurados aos povos indígenas pela Constituição de 1988 e a Convenção 169 da OIT.

Translate »