skip to content
China aposta na força dos ventos

China aposta na força dos ventos

A China vai investir US$ 174 bilhões em energia limpa até 2020. O país, o segundo maior poluidor do mundo, decidiu apostar num futuro mais verde.

Os chineses perceberam que botar dinheiro em iniciativas sustentáveis é um excelente negócio: a energia eólica vai gerar ao país eletricidade e cerca de 300 mil empregos diretos e indiretos.

Que o presidente eleito dos Estados Unidos (o maior poluidor) Donald Trump também abra o olho.

Via CicloVivo

Foto: Getty Images

Saiba mais: https://ciclovivo.com.br/noticia/china-anuncia-investimento-de-us-174-bi-em-energia-limpa-ate-2020/

Degelo polar do tamanho da Índia

Degelo polar do tamanho da Índia

O planeta já perdeu mais do que uma Índia em gelo polar este ano. Enquanto o sétimo maior país do mundo tem 3,29 milhões de quilômetros quadrados, o degelo equivale a 3,84 milhões de quilômetros quadrados.

E o derretimento atinge os dois polos. Tudo indica que 2016 será o ano mais quente da história.

O degelo na Antártida é mais perigoso para a Terra, pois está diretamente ligado à subida do nível do mar.

Vamos melhorar esse clima?

Via: O Globo

Foto: Opinião & Notícia

Saiba mais: https://oglobo.globo.com/sociedade/sustentabilidade/gelo-polar-derretido-em-2016-tem-extensao-maior-do-que-da-india-20591887

Anatomia de uma tragédia no Xingu

Anatomia de uma tragédia no Xingu

O documentário “Belo Monte: Depois da Inundação”, de Todd Sothgate, resgata o histórico de desrespeitos aos direitos humanos e ao meio ambiente, e a rede de corrupção em torno da construção da usina, no Rio Xingu.

O documentário será lançado na segunda-feira, 5/12, às 19h, no Centro Universitário IESB, em Brasília – no Auditório Benedito Coutinho, SGAN, Quadra 609 – Módulo D, L2 Norte.

Saiba mais sobre “Belo Monte: Depois da Inundação”: https://www.belomonteaftertheflood.com

Uma carta para Trump pelo ambiente

Uma carta para Trump pelo ambiente

Mais de 2.300 cientistas americanos assinaram uma carta aberta ao próximo presidente dos EUA, Donald Trump. Em tom de urgência, eles pedem a adesão do empresário a “altos padrões de integridade e independência científica” para responder a ameaças ao ambiente e de saúde pública.

O presidente eleito já questionou que a atividade humana possa causar as mudanças climáticas e cogitou deixar o Acordo de Paris.

Diante do quadro de desconfiança, o grupo de cientistas achou por bem endereçar um “deixe a ciência conosco” ao futuro presidente.

Via: Washington Post

Foto: AP

Saiba mais (em inglês): https://www.washingtonpost.com/news/energy-environment/wp/2016/11/30/22-nobel-prize-winners-urge-trump-to-respect-scientific-integrity-and-independence/?utm_term=.2ad9ed6ba052

Desmatamento cresce na Amazônia

Desmatamento cresce na Amazônia

A Amazônia perdeu neste ano uma área de 7.989 km² para o desmatamento, o equivalente a 5,3 vezes a cidade de São Paulo.

A taxa de devastação na maior floresta tropical do mundo foi 29% superior à de 2015. É o segundo aumento anual seguido do desflorestamento no bioma.

Em 2008, um pico similar no desmatamento fez o governo endurecer a vigilância e cortar crédito de fazendeiros nos municípios mais críticos.

Os números recém-divulgados pedem novas e urgentes medidas para o Brasil inverter a trajetória ascendente da destruição florestal.

Via: Observatório do Clima

Foto: Ueslei Marcelino/Reuters

Saiba mais: https://www.observatoriodoclima.eco.br/desmatamento-sobe-29-o-maior-em-8-anos/

Translate »