Escolha uma Página
Lixo plástico nas alturas

Lixo plástico nas alturas

Onde nenhum homem jamais esteve. Outro dia, falamos aqui que foi encontrado lixo plástico a mais de 10 mil metros de profundidade, no Oceano Pacífico. Mas as micropartículas sintéticas estão chegando nas alturas também.

Um estudo da Universidade de Berna revelou que foram encontradas 53 toneladas de microplástico nas montanhas mais afastadas da Suíça. Como esse lixo chega a áreas protegidas, os pesquisadores acreditam que ele chegou lá pelo vento. Ou seja: pode ter plástico até no ar que a gente respira.

Via Conexão Planeta

Foto: Alps insight

Saiba mais

Abrolhos e Noronha têm lixo do mundo todo

Abrolhos e Noronha têm lixo do mundo todo

Visitantes indesejados do mundo inteiro estão invadindo Abrolhos e Fernando de Noronha. Pesquisadores encontraram plástico proveniente de mais de 20 países, da Malásia aos Emirados Árabes Unidos, nos dois arquipélagos. O lixo chega das mais diferentes formas: de carona com turistas (brasileiros e estrangeiros) ou boiando, em travessias transoceânicas.

Uma garrafa pet pode levar até 400 anos para se decompor na natureza. Só no Brasil, pelo menos 2 milhões de toneladas de resíduos chegam por ano ao oceano. Mas a poluição marinha está globalizada.

Via UOL

Foto: João Viana

Saiba mais

Um mar de lixo no Ártico

Um mar de lixo no Ártico

A conclusão de um estudo publicado pela revista “Science Advances” foi que o Oceano Ártico está virando um “aterro marinho”, com algo em torno de 1.200 toneladas de lixo. Um quarto deste total, ou cerca de 300 bilhões peças, são itens de plástico.

Aves marinhas e peixes muitas vezes confundem o plástico com o alimento, o que pode sufocá-los e até a morte. Ou, ainda, seus estômagos podem ficar tão cheios de material indigestível que eles morrem de fome. O plástico também contém substâncias tóxicas, que agem como um ímã para produtos químicos que flutuam no mar, aumentando a sua concentração para níveis potencialmente perigosos.

De acordo com estimativas, até 2050, haverá mais poluição plástica nos oceanos do que peixes.

Via: O Globo
Saiba mais em: https://glo.bo/2pmqos9
Foto: Steen Ulrik Johannessen

Café demais faz mal à saúde do planeta

Café demais faz mal à saúde do planeta

Estão aposentando o coador e o meio ambiente é que está pagando o pato.
O café de cápsula pode ser mais prático, mas tem mandado pros lixões mais de 8 mil toneladas de detritos por ano só no Brasil.
Não é fácil reciclar as cápsulas, que são feitas de plástico, alumínio e papel. E ainda tem a borra.
As principais marcas que fabricam o produto prometem reciclagem total até 2020.
Enquanto isso não acontece, a cidade de Hamburgo, na Alemanha, tomou suas providências: proibiu o café em cápsula em prédios públicos.
Via UOL
Foto: Jornal GGN
Saiba mais: https://www1.folha.uol.com.br/seminariosfolha/2016/06/1784370-a-espera-de-reciclagem-capsulas-de-cafe-sobrecarregam-aterros-sanitarios.shtml?cmpid=compfb