Escolha uma Página
Reciclar é com os noruegueses

Reciclar é com os noruegueses

Ninguém recicla garrafa de plástico como os noruegueses: a taxa em 2016 foi de 97%, o que dá 600 milhões de unidades. Para se ter uma ideia, no Brasil essa porcentagem é de 50%.

O segredo: pagar o consumidor pela devolução. Isso é feito de forma automática, em máquinas instaladas nos estabelecimentos comerciais. Quem entra com o dinheiro é o próprio fabricante de bebidas que, em compensação, ganha um desconto no imposto. Com incentivo, desce mais fácil.

Via BBC Brasil

Foto: DutchScenery/Shutterstock

Saiba mais

Desmatamento x Desperdício

Desmatamento x Desperdício

Antes de desmatar, vamos botar na ponta do lápis quanto realmente precisa de pasto e de plantação? Porque o desperdício de comida no Brasil é grande. Só os supermercados perdem R$ 7,1 bilhões por ano com comida jogada no lixo.

Isso equivale ao faturamento anual de uma grande rede, como o grupo Pão de Açúcar. Se o desperdício é um mau negócio para eles, imaginem para o planeta?

Via Valor Econômico

Foto: Waste360

Saiba mais

Não existe jogar ‘fora’

Não existe jogar ‘fora’

A partir de 1º de janeiro de 2020, pratos, copos e talheres de plástico serão proibidos na França.
Para substituí-los, serão propostos utensílios 50% compostos por matérias-primas provenientes de fontes renováveis.
Anunciada por decreto pelo governo francês, a medida visa reduzir o volume de resíduos que se propaga no meio ambiente.
Enquanto não há lei semelhante por aqui, que tal abolirmos por conta própria utensílios descartáveis de nossos hábitos de consumo?
#CadaGotaConta #ConsumoConsciente
Via GreenMe
Foto: Move Notícias
Saiba mais: https://www.greenme.com.br/informar-se/lixo-e-reciclagem/4036-agora-e-lei-na-franca-chega-de-plastico

Lixões afetam 75 milhões de brasileiros

Lixões afetam 75 milhões de brasileiros

Pintou mais sujeira. Somos mais de 207 milhões, segundo divulgou recentemente o IBGE, e 75 milhões de nós são afetados pelos lixões a céu aberto espalhados pelos rincões do país. Os dados, fresquinhos, são do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS). E olha que a Política Nacional de Resíduos Sólidos, sancionada em 2010, dava o quatro anos de prazo para os municípios acabarem com essa vergonha, sob pena de responderem por crime ambiental.

A lei não pegou e o prejuízo pode chegar a US$ 4,65 bilhões até 2021, não só por atingir a saúde das pessoas, como também em impactos ambientais. Está na hora de fazer uma limpeza pesada nesse país, não?

Via G1

Foto: Agência Senado/Edilson Rodrigues

Saiba mais.

O pior de dois mundos

O pior de dois mundos

Estamos mal no quadro de medalhas do desenvolvimento sustentável. O Brasil já produz tanto lixo quanto um pais desenvolvido, mas ainda trata a sujeira à moda do Terceiro Mundo. Ou seja, conseguimos unir o pior dos dois mundos. A conclusão é de um relatório da Associação Brasileira das Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe). Cada brasileiro produz em média 387 quilos de resíduos por ano, mas cerca de 80 milhões de pessoas não têm acesso a serviços de tratamento e destinação final adequados do lixo. Mó sujeira! Via Revista Meio Ambiente Industrial
Foto: Global Waste
Saiba mais: https://rmai.com.br/brasil-gera-lixo-como-primeiro-mundo-mas-o-tratamento-ainda-e-de-nacao-subdesenvolvida/