Escolha uma Página
Comida de tubarão

Comida de tubarão

Tubarão virou comida. O arquipélago de Fernando de Noronha vive uma contradição. Enquanto suas águas recebem mergulhos de observação de tubarões, seus restaurantes usam a carne desses peixes para fazer petisco.

Um dos maiores problemas é que não se sabe se os animais que viram bolinho de tubarão constam na lista de espécies ameaçadas.

Por isso, a ONG Divers for Sharks está propondo ao governo de Pernambuco que crie um santuário de tubarões em Noronha.

O equilíbrio da fauna marinha importa mais que um salgadinho.

Via: O Eco

Foto: Trip Noronha

Saiba mais: https://www.oeco.org.br/noticias/ongs-lancam-campanha-contra-venda-de-bolinho-de-tubarao-em-noronha/

Baixo carbono via Fernando de Noronha

Baixo carbono via Fernando de Noronha

Os governos de Pernambuco e da Califórnia (EUA) se uniram para transformar a ilha de Fernando de Noronha em um laboratório de gestão sustentável e negócios colaborativos de baixo carbono.

Em breve, podem pintar na ilha carros elétricos movidos a energia solar, acessados por aplicativos e compartilhados entre as pessoas.

Empresas interessadas em viabilizar essa empreitada serão reunidas por lá em dezembro.

Que dê certo e se multiplique. O estado do nosso planeta não permite retrocessos, apenas avanços.


Via Folha de S. Paulo


Foto: Ana Keli Calleari/Fotoli


Saiba mais: https://www1.folha.uol.com.br/ambiente/2016/11/1829927-fernando-de-noronha-vira-laboratorio-de-negocios-de-carbono-zero.shtml

Abrolhos e Noronha têm lixo do mundo todo

Abrolhos e Noronha têm lixo do mundo todo

Visitantes indesejados do mundo inteiro estão invadindo Abrolhos e Fernando de Noronha. Pesquisadores encontraram plástico proveniente de mais de 20 países, da Malásia aos Emirados Árabes Unidos, nos dois arquipélagos. O lixo chega das mais diferentes formas: de carona com turistas (brasileiros e estrangeiros) ou boiando, em travessias transoceânicas.

Uma garrafa pet pode levar até 400 anos para se decompor na natureza. Só no Brasil, pelo menos 2 milhões de toneladas de resíduos chegam por ano ao oceano. Mas a poluição marinha está globalizada.

Via UOL

Foto: João Viana

Saiba mais