Escolha uma Página
Carbono dá sede

Carbono dá sede

Carbono dá sede. Um estudo publicado na revista Nature Climate Change revelou que o excesso de CO2 na atmosfera fez aumentar a demanda por água em lavouras que estão na base de nossa alimentação: soja, milho, arroz e trigo. Hoje, uma plantação de um hectare consome diariamente cerca de 5 mil litros de água a mais do que consumia diariamente em 1958.

“Se somarmos o clima mais quente às chuvas escassas e ao carbono em excesso temos uma equação muito desfavorável às plantações”, explica um dos autores do estudo, o climatologista Daniel W. Urban, da Universidade Stanford. O tempo está fechando e isso não é sinal de chuva – só os ruralistas não entenderam ainda.

Via Observatório do Clima

Foto: Acquagreen

Saiba mais

Não se vive sem comida, mas também não se vive sem água

Não se vive sem comida, mas também não se vive sem água

Não se vive sem comida, mas também não se vive sem água e nem se produz comida sem água. Segundo um relatório que a FAO acabou de divulgar, a agropecuária é a atividade primária que mais contamina os recursos hídricos do planeta. Logo, estamos numa sinuca de bico e precisamos sair dela.

A agricultura contribui com vazamento de produtos químicos, o uso de fertilizantes e pesticidas. E há 20 anos, a pecuária acrescentou mais um ingrediente: o uso de antibióticos e hormônios no gado. Se não se vive sem um, nem outro, então já temos em nome de que buscar soluções para esse problema, que é de todo mundo.

Via G1 – O Portal de Notícias da Globo​

Foto: Hiroshi Omochi

Saiba mais

Brasil transforma riquezas em fumaça

Brasil transforma riquezas em fumaça

Como transformar riquezas em fumaça: o Brasil se tornou a única grande economia do mundo a aumentar a poluição sem crescer. Segundo o novo relatório do Sistema de Estimativas de Emissões de Gases de Efeito Estufa (SEEG), poluímos a atmosfera 8,9% a mais em 2016 do que em 2015. É o nível mais alto desde 2008, o que nos garante a sétima posição entre os maiores poluidores do planeta.

Este crescimento se deveu à alta de 27% no desmatamento na Amazônia, mas o agronegócio é o seu principal motor, respondendo por 74% das emissões. Se fosse um país, o setor seria o oitavo maior poluidor do mundo, à frente do Japão. Nem a crise detém nosso descaso com o meio ambiente.

Via Observatório do Clima

Foto: Getty Images

Saiba mais