Escolha uma Página
Encontro dos povos indígenas

Encontro dos povos indígenas

Lideranças indígenas de todo Brasil estarão reunidas em Brasília, entre os dias 24 e 26 de abril, durante o 15° Acampamento Terra Livre (ATL). Elas vão mostrar o que querem e, principalmente, precisam para os próximos anos. Demarcação de terras, a não municipalização da saúde indígena e o fim do genocídio dos povos são algumas das pautas desta edição do ATL.

A Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (APIB) e a Mobilização Nacional Indígena esperam reunir milhares de indígenas de todas as regiões do Brasil.
#AcampamentoTerraLivre #APIB #MobilizaçãoNacionalIndígena#CadaGotaConta

Unidade na diversidade indígena

Unidade na diversidade indígena

Sonia Bone Guajajara, coordenadora-executiva da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib), fala como as nações indígenas, com todas as suas diferenças, se uniram em torno de reivindicações em comum. Uma lição a ser seguida por não-indígenas também.

Por que não há indígenas no Congresso?

Por que não há indígenas no Congresso?

Sonia Bone Guajajara, coordenadora-executiva da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib), explica porque não há mais representantes indígenas no Congresso Nacional.

O único a chegar à Brasília foi o cacique xavante Mário Juruna, deputado federal pelo Rio de Janeiro de 1982 a 1986, pelo PDT.

Discurso de Ailton Krenak no Congresso

Discurso de Ailton Krenak no Congresso

Há 27 anos, a Assembleia Nacional Constituinte foi marcada pela defesa da Emenda Popular da União das Nações Indígenas. No dia 4 de setembro de 1987, Ailton Krenak, o porta-voz do emergente movimento indígena, fez um discurso histórico e conseguiu reverter o clima anti-indígena naquela legislatura do Congresso Nacional. O pronunciamento contundente de Krenak foi decisivo para a aprovação dos artigos 231 e 232 da Constituição Federal de 1988 pelos parlamentares constituintes.

O que o índio quer?

O que o índio quer?

“Há direitos diferentes para os diferentes e essa é a melhor maneira de se fazer justiça”. O antropólogo Antônio Carlos Souza Lima fala da importância dos direitos assegurados aos povos indígenas pela Constituição de 1988 e a Convenção 169 da OIT.