Escolha uma Página

O impacto do voto no clima

25 de setembro de 2018

A temperatura dessas eleições está alta e a decisão das urnas pode fazer ela subir mais ainda – literalmente. Já parou para pensar no impacto que o seu voto tem no clima e na economia? Então, tenha muita frieza e cuca fresca na hora de escolher. O desmatamento é a segunda maior causa das mudanças climáticas. Que providências os candidatos à Presidência planejam tomar para detê-lo e cumprir as metas do Acordo de Paris? É para ontem, pois na Amazônia ele está prestes a atingir o seu limite irreversível; a partir daí, a maior floresta tropical e com maior biodiversidade do mundo pode se transformar numa savana quase sem vida.

Como eles pensam em explorar nossos recursos naturais causando o menor dano ambiental possível e surfar na onda do desenvolvimento ambiental, gerando ainda mais riquezas e empregos? É um mercado em plena expansão: a capacidade de geração de energia solar no mundo aumentou 54% em um ano, e mais do que triplicou em três. Esta será a fonte de energia mais barata em menos de uma década. Já a Dong Energy, gigante do carvão e do petróleo dinamarquesa, mudou de nome e de ramo: agora se chama Ørsted e acaba de inaugurar o maior parque eólico marinho do mundo. Em cinco anos a Europa vai dominar ¼ da produção global de energia eólica. Mesmo a Petrobras já começa a se aventurar por esses mares.

O dinheiro para essa transição de modelo econômico começa a chegar. O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico (BNDES) acaba de captar US$ 100 milhões para investimentos em energia renovável, em parceria com o Banco Japonês para Cooperação Internacional (JIBC). Como será aplicado por nosso futuro governante? Entidades como o Observatório do Clima, o Instituto Socioambiental – ISA e o Greenpeace Brasil, e diversos órgãos de imprensa analisaram as propostas para a área dos programas de governo dos candidatos à Presidência. É um privilégio poder contar com informação de tamanha qualidade num momento tão conturbado, nessa guerra em que versões e opiniões se sobrepõem aos fatos. Para quem se preocupa com o futuro, mais do que nunca é preciso pensar no verde antes de apertar o verde.

Mesmo que já sintamos os efeitos das mudanças climáticas e que o tema seja fundamental para planejar o crescimento econômico do país, ele não tem recebido a devida atenção no debate eleitoral. O Greenpeace Brasil descobriu casos mais graves, como o do candidato que se compromete a extinguir o Ministério do Meio Ambiente e enfraquecer órgãos de fiscalização a crimes ambientais, como o Ibama, além de avançar sobre áreas protegidas, principalmente as Terras Indígenas.

Na análise feita pelo Observatório do Clima, os candidatos apresentam em seus programas de governo apenas ideias genéricas para enfrentar o problema. É preciso, por exemplo que haja uma revisão dos compromissos climáticos assumidos pelo Brasil, para reavaliar nossas metas para o Acordo de Paris para 2025 e 2030, buscando evitar aquecimento global para além de 1,5°C.

O Brasil é o país com maior índice de desmatamento nos últimos 34 anos, segundo pesquisa da Universidade de Maryland, nos Estados Unidos, publicada na revista “Nature”; e entre agosto de 2017 e julho deste ano, ela aumentou 39% em relação ao período anterior, conforme estudo do Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon).

A situação, neste caso específico, é de emergência, já que a Amazônia está na UTI. Entre as propostas apresentadas pelo ISA para deter essa destruição, uma certamente é a mais lógica, por ser, comprovadamente, a mais barata e eficaz: concluir o mais rápido possível os processos territoriais que estão paralisados – Terras Indígenas, Quilombos, Parques e Reservas e de Áreas Públicas. Que candidato teria mais condições de cumprir essa meta? Demarcação e desenvolvimento sustentável, já: está aí um bom começo para começar a definir seu voto.

Saiba mais:

O que seu candidato vai fazer a respeito do aquecimento global?

Presidente eleito terá de retomar trilha da responsabilidade climática e enfrentar retrocesso

Novo governo terá desafio de garantir cumprimento das metas climáticas

Propostas dos candidatos à Presidência

O que cada candidato (a) propõe fazer a respeito do tema Água?

Nessas eleições pense no Brasil que você quer amanhã (artigo de Marcelo Gleiser)

O insustentável silêncio dos planos de governo

ISA apresenta suas propostas aos candidatos à Presidência da República nas eleições de outubro

Economia da floresta: o que deveria estar na pauta do próximo presidente

Caatinga, Pampa e Pantanal, os biomas esquecidos pelos candidatos

O saneamento básico nos planos de governo dos presidenciáveis

Eleições 2018: as propostas de todos os candidatos a presidente do Brasil

Confira as propostas dos candidatos à Presidência para o meio-ambiente

Eleições 2018: presidenciáveis apresentam propostas contra o meio ambiente

Dos 13 presidenciáveis, apenas três propõem reduzir uso de agrotóxicos

Os candidatos à presidência, o aquecimento global e nosso papel no exercício da cidadania

Territórios tradicionais e reservas: o que deveria estar na pauta do próximo presidente

Eleições, meio ambiente e esperança

As urnas e a energia nuclear no Brasil

BNDES capta US$ 100 milhões para energia renovável

Europa terá um quarto da energia eólica global em 5 anos

Dinamarquesa Ørsted inaugura maior parque eólico marinho do mundo

Desmatamento na Amazônia está prestes a atingir limite irreversível