Escolha uma Página

Vamos ganhar de virada!

4 de julho de 2018

O juiz apitou o fim do primeiro tempo e estamos atrás no placar. Mas no campo dos argumentos, o time do PL do Veneno perdeu feio; tanto que abusou da catimba, apresentando informações distorcidas, que não passariam num exame antidoping. O Projeto de Lei (PL) 6299/2002, que flexibiliza ainda mais o uso de agrotóxicos no Brasil, será levado à votação em Plenário – e aí é fim de jogo. Mas temos tudo para ganhar de virada.

A equipe do PL do Veneno tem fortes patrocinadores e ainda contou com a nítida torcida do árbitro – no caso, a deputada Tereza Cristina (DEM-MS), presidente da comissão especial que analisou o PL, e da Frente Parlamentar da Agropecuária. A congressista torceu tão abertamente que foi comemorar a vitória parcial com colegas da bancada ruralista.

Mas o segundo tempo vai ser outro jogo. O adversário já percebeu que estamos mais unidos e bem treinados, e está tentando adiar a volta ao campo. É provável que o PL só vá ao Plenário no ano que vem, depois das próximas eleições. Então, vamos aproveitar para nos preparar mais ainda – com informação, que é a nossa melhor jogada.

[huge_it_videogallery id=”29″]

Por exemplo: pouco antes da votação da comissão especial foi divulgado um novo estudo da Universidade Federal do Ceará que relaciona agrotóxicos à puberdade precoce e à má-formação congênita. Precoce mesmo: a professora Antônia Lucí Silva Oliveira começou a notar o crescimento das mamas de sua filha quando ela tinha só 6 meses de idade. As duas moram num povoado da Chapada do Apodi, onde aviões e tratores despejam agrotóxicos nas lavouras de frutas para exportação.

Outro: a Anvisa listou os riscos de nove agrotóxicos proibidos no Brasil que poderiam ser liberados pelo PL. Você sabia também que na atual Lei de Agrotóxicos (7.802/1989) é textualmente proibido o registro de substâncias com características teratogênicas (que causam má-formação dos fetos), carcinogênicas (que são cancerígenas) ou mutagênicas (que provocam mutações genéticas)? E que em vez disso o PL fala em elementos que apresentem “risco inaceitável” de causar esses efeitos? Um texto genérico e aberto a interpretações – praticamente um gol em impedimento.

Os ruralistas podem até ter recuado em campo, mas avançam no tapetão: a Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural da Câmara aprovou o PL 4576/16, que restringe a venda direta de produtos orgânicos. O relator é Luiz Nishimori (PR-PR), o mesmo do PL do Veneno. Por isso, precisamos reforçar nossa equipe com mais parlamentares comprometidos com a causa ambiental, pois os ruralistas ocupam hoje 40% das cadeiras do Congresso – e eram maioria esmagadora na comissão que aprovou o texto-base do PL. A informação e o voto são os caminhos mais fáceis para o gol.

Assine a petição #ChegaDeAgrotóxicos

Saiba mais:

Ruralistas festejam ‘musa do veneno’ em festa após aprovação de relatório sobre agrotóxicos

Pesquisa relaciona agrotóxicos a puberdade precoce e má-formação congênita

Anvisa lista riscos de nove agrotóxicos proibidos para alertar sobre impacto de possível mudança em lei

No mundo dos agrotóxicos, não há jantar grátis (artigo de Bela Gil, Marcio Astrini e Marcos Palmeira)

Fazendeiros investem em agricultura orgânica após adoecerem com uso de agrotóxicos

“Agro é Pop, Agro é Tudo”: os donos do poder e a manipulação da comunicação

O playbook do agrotóxico (ou como ganhar qualquer debate tendo maioria no Congresso)

Na contramão de Europa e EUA, Brasil caminha para liberar mais agrotóxicos

A operação para afrouxar ainda mais a lei de agrotóxicos no Brasil, na contramão do mundo

Artistas criticam flexibilização do uso de agrotóxicos

Agrotóxicos: Projeto Veneno passa na Câmara dos Deputados

‘PL do Veneno’ ameaça segurança alimentar dos brasileiros (artigo de Maria Inês Dolci, advogada especialista em direitos do consumidor)

30% dos agrotóxicos liberados no Brasil foram banidos da Europa (artigo de Cláudia Collucci, repórter especializada na área da saúde, é autora de ‘Quero ser mãe’ e ‘Por que a gravidez não vem?’)

As sequelas dos agrotóxicos para trabalhadores rurais

Venenosa ganância (artigo de José Eli da Veiga)

Farra do veneno recebe sinal verde na Câmara

Lei dos agrotóxicos é capital político para ruralistas

Brasil será “paraíso dos agrotóxicos”, diz pesquisador

Comissão da Câmara aprova projeto que restringe venda direta de orgânicos

Controle biológico cresce no campo e ajuda na redução de custos da lavoura

O PNaRa é o antídoto contra o PL do Veneno

PL do Veneno: a opinião de 8 pré-candidatos à Presidência sobre mudança da Lei dos Agrotóxicos