pt Português
Uma Gota no Oceano

Verdadeiro como uma nota de R$ 3,00

O presidente Temer foi à ONU com um discurso tão verdadeiro quanto uma nota de R$ 3,00 (três reais): o desmatamento na Amazônia tinha caído mais de 20%. Foi desmentido por sua própria fonte, o Imazon. “Estes não são dados oficiais. Os dados do governo ainda não foram divulgados e parece que o presidente está comparando dados oficiais do ano passado com os nossos, de agora, sendo que as metodologias são totalmente diferentes”, disse o engenheiro florestal Paulo Barreto, pesquisador associado do instituto. Como se diz hoje em dia, o governo aderiu ao uso da pós-verdade – a popular cascata.

Não é a primeira vez que ele dá uma de joão-sem-braço: os vetos às MP 756 e 758, que reduziam as áreas de reservas de floresta, como a de Jamanxim, foram somente para norueguês ver. O anúncio foi feito às vésperas da viagem do presidente à Noruega e o ministro de Clima e Meio Ambiente do país, Vidar Helgesen, havia feito críticas contundentes à política ambiental brasileira. De nada adiantou: a Noruega cortou pela metade os R$ 400 milhões do Fundo Amazônia, destinado à preservar a floresta.

Tudo isso em retribuição aos votos da bancada ruralista no Congresso Nacional, que, afinal, tem garantiu a sua promoção à Presidência e tem garantido a sua permanência no Palácio do Planalto. Para o agronegócio é tudo à vera: assim que assumiu, Temer recebeu uma pauta de reivindicações dos ruralistas. Dos 17 pontos que consideraram prioritários, 13 já foram atendidos. E muitas vezes usando como argumento a lorota-mor: a de que tem terra demais para índio de menos. 

Estufam o peito para dizer que os Territórios Indígenas (TIs) ocupam 13% do território nacional (106 milhões de hectares), mas omitem que 37% (318 milhões de hectares) são ocupados por grandes propriedades. E que proporcionalmente, tem muito menos gente vivendo nessas terras. A maior parte das TIs está na Amazônia Legal, onde vive cerca de 55% da população indígena do país. Nas demais regiões, eles se espremem em pequenas áreas, entre cidades e fazendas, sem as mínimas condições de manter seu modo de vida. E é justamente nessas regiões acontecem os maiores conflitos fundiários e disputas pela terra. Então, quando o governo anuncia que vai revogar a extinção da Reserva Nacional do Cobre e Associados (Renca), a gente fica ressabiado. Por outro lado, é uma demonstração da força de nossa união: conquistamos essa vitória porque não passamos recibo.

Saiba mais:

Temer e Sarney Filho queriam enrolar ministro do Ambiente da Noruega

Pautas de viés conservador avançam na gestão de Michel Temer

Autores de estudo citado na ONU desmentem Temer sobre queda no desmatamento da Amazônia

O que há por trás da queda no desmatamento celebrada por Temer

A Amazônia de Temer

As 10 mentiras mais contadas sobre os indígenas

Voltar atrás no caso da Renca não salva governo de novos desgastes

Miriam Leitão comenta recuo do governo sobre reserva mineral

Vitória! Após pressão, Temer revoga decreto que extingue a Renca

Decreto que revoga a extinção da Renca é publicado no Diário Oficial

Frente Parlamentar da Agropecuária compôs 50% dos votos do impeachment e 51% dos votos para manter Temer

 

 

 

 

 

Receba info da Gota Alternativas Energéticas

Saiba Mais