Escolha uma Página

Mãozinha para sobrevivência

Mãozinha para sobrevivência. As tartarugas da Amazônia estão entre as espécies preferidas dos caçadores, atrás de seus couro e carne. Para complicar, apenas 1% dos filhotes sobrevive. Para contrabalançar tanta desvantagem, pesquisadores e voluntários do Parque Estadual do Cantão, no Tocantins, vigiam as praias do rio Araguaia e levam as tartaruguinhas recém-nascidas para um local protegido na água, onde passam 30 dias, protegidas dos predadores e com alimentação garantida. A ideia é que, uma vez livres, pelo menos 13% delas sobrevivam. Conscientizar é reforçar esse esforço.

 

Via Jornal Nacional
Foto: Fabíola Dias/Naturantis
Saiba mais