Escolha uma Página
Primatas podem sumir do mapa

Primatas podem sumir do mapa

A maioria das espécies de primatas do mundo corre risco de extinção. A população de lêmures de cauda anelada, famosos pelo filme “Madagascar”, está reduzida a alguns poucos milhares de animais. E os gibões de Hainan (foto), a menos de 30.

Os maiores vilões dessa história são o comércio ilegal de animais e a destruição de seu habitat. Nosso papel para evitar a tragédia que se anuncia não é nenhuma novidade.

Precisamos combater a pobreza e práticas danosas ao meio ambiente.

Via: O Globo

Foto: Hainan Crested Gibbons

Saiba mais: https://oglobo.globo.com/sociedade/sustentabilidade/sobrevivencia-da-maioria-das-especies-de-primatas-esta-ameacada-20788900

Febre amarela fere a diversidade

Febre amarela fere a diversidade

O maior surto de febre amarela silvestre já enfrentado pelo Brasil não chegou ao coração das grandes cidades, mas vem atingindo regiões onde vivem alguns dos primatas mais ameaçados do país. De acordo com o Ministério da Saúde, quase 5,5 mil macacos morreram por suspeita da doença.

Além da ameaça à biodiversidade, a mortandade impacta também a ecologia das florestas, já que os primatas têm importante papel no equilíbrio das matas.

Além de provocar a maior epidemia da doença em décadas no Brasil, causando 426 mortes, o vírus teve uma expansão geográfica sem precedentes em florestas e matas, definida por especialistas como uma tragédia humana e ambiental.

Via: BBC

Saiba mais em: https://www.bbc.com/portuguese/brasil-40024332

Foto: Revista Galileu