Escolha uma Página

Guardiões de Floresta e Gotas em terras Yurok

25 de setembro de 2018

Uma Gota no Oceano testemunhou um momento histórico: pela primeira vez, houve uma reunião dos Guardiões da Floresta nos Estados Unidos. O grupo, formado por entidades que representam povos tradicionais das Américas e da Indonésia, esteve no território dos Yurok, na Califórnia, trocando experiências sobre preservação ambiental. Foi uma espécie de pós-graduação em saberes tradicionais – para eles e nossa equipe, que teve o privilégio de acompanhar essa troca de perto.

A delegação brasileira nos Guardiões da Floresta é formada por representantes da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib). No território Yurok, puderam buscar soluções para problemas em comum. Os incêndios florestais castigam severamente a Califórnia há dois anos, e os indígenas têm trabalhado em conjunto com agências do estado no combate ao fogo. É o reconhecimento oficial da importância dos saberes tradicionais. 

Outro problema em comum: a falta de poder de decisão na gestão dos rios que cortam o seu território. “Nosso modo de vida morreu junto com o barramento do São Francisco”, disse Dinamam Tuxá, coordenador executivo da Apib, aos parentes americanos. Ainda nos anos 1980, os Tuxá foram removidos de suas terras para a construção da Hidrelétrica de Itaparica (hoje, Luiz Gonzaga), na Bahia. Enquanto a Amazônia segue ameaçada de ser inundada por hidrelétricas, os Yurok tiveram recentemente uma vitória histórica na Justiça: o direito de retirar as barragens que sufocavam o Klamath, seu rio sagrado.

Saiba mais:

Indígenas das Américas se unem contra mudanças climáticas

O povo nativo-americano Yurok