Escolha uma Página

Artigos da categoria…

Extinção de espécies

Árvore e progresso

Árvore e progresso

por Malu Ribeiro* O dia da árvore, data escolhida por anteceder o início da primavera no hemisfério sul, pode ser celebrado...

ler mais
Um zoológico para todos

Um zoológico para todos

A vida de Cannelle e Canaille daria um roteiro de cinema. Os dois ursinhos marrons são os únicos sobreviventes entre sete...

ler mais
Voo para as cidades

Voo para as cidades

Sabe aquele tipo de tendência pela qual a gente torce para se tornar parte do nosso dia a dia? Alguns projetos de...

ler mais
Bombardeio de agrotóxicos

Bombardeio de agrotóxicos

É preciso respirar fundo e ouvir a música “Paciência”, do Lenine, para ler esta notícia: em nome de que o Ministério da Agricultura autorizou 28 agrotóxicos extremamente perigosos, como o Sulfoxaflor, que extermina insetos danosos à lavoura, mas também abelhas, fundamentais à polinização? Em 2018, já haviam sido registrados 450 agrotóxicos, sendo somente 52 de baixa toxicidade.

ler mais
O sapo Romeu encontra sua Julieta

O sapo Romeu encontra sua Julieta

Romeu finalmente conheceu sua Julieta. Mas ela não é fácil. Há 10 anos o anfíbio mais solitário do mundo, um sapo-aquático-de-sehuencas, esperava por companhia em uma instituição científica na Colômbia. Já se acreditava que ele fosse o último de sua espécie, até encontrarem uma fêmea na floresta. Criada livre, leve e solta, Julieta (abaixo) curte um agito; já Romeu (acima), que viveu a última década numa solitária de laboratório, não tem muito o que contar.

ler mais
O limpa-folha-do-nordeste silenciou

O limpa-folha-do-nordeste silenciou

O Brasil chega a 2019 mais silencioso. Perdemos o cantar de dois conterrâneos no ano passado: o gritador-do-nordeste e o limpa-folha-do-nordeste (foto), duas aves nativas do país que foram extintas.

ler mais
O amargo retorno do Japão à caça à baleia

O amargo retorno do Japão à caça à baleia

Tão reconhecido por bons projetos de sustentabilidade, o Japão tomou uma decisão que nos remete à Idade Média. O país asiático não só se desligou da Comissão Internacional da Baleia (CIB), como anunciou a retomada da caça a esses animais marinhos em suas águas para fins comerciais a partir de julho de 2019, desprezando o fato de que algumas espécies estão em extinção.

ler mais
Renas somem do Ártico

Renas somem do Ártico

As mudanças climáticas podem deixar o Papai Noel a pé. A população de renas selvagens e caribus caiu mais da metade no Ártico nos últimos 20 anos. Segundo um relatório da ONG American Geophysical Union, o número de animais caiu de quase 5 milhões para cerca de 2,1 milhões.

ler mais
A marcha dos pinguins

A marcha dos pinguins

Esses pinguins aí estão em marcha, mas de volta para casa. Os 18 bichinhos foram devolvidos ao mar ontem, na Praia do Moçambique, em Florianópolis (SC), depois de receberem cuidados. Todo ano, pinguins-de-magalhães deixam a Patagônia no inverno em busca de alimento, são carregados por correntes marinhas, e muitos deles chegam debilitados em nossas praias.

ler mais
Vamos dar mais bola para o tatu?

Vamos dar mais bola para o tatu?

Todo mundo quer esquecer da Copa de 2014 mas, felizmente, tem gente que lembra do seu mascote. Hoje, só restou 1% da população original do tatu-bola. O bichinho foi dizimado pela caça e pela destruição de seu habitat natural, a Caatinga.

ler mais
Não à caça!

Não à caça!

O bicho está pegando no Congresso: a Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da Câmara pode votar amanhã o Projeto de Lei 6268/2016, do deputado Valdir Colatto, que libera a caça de animais silvestres no Brasil. Esta prática é proibida no país desde 1967.

ler mais
Doninha branca vira presa fácil sem neve

Doninha branca vira presa fácil sem neve

A doninha branca não tem mais para onde correr: virou presa fácil de seus predadores desde que a neve começou a sumir da Floresta Bialowieza, na Polônia, seu habitat. Seu pelo é branco para lhe servir de camuflagem. Agora, esse bichinho fofo corre sério risco de extinção.

ler mais
Um mundo sem borboletas?

Um mundo sem borboletas?

Segundo a Fundação Alemã para Animais Selvagens, o número de espécies do inseto caiu pela metade nos últimos 30 anos só naquele país. O mais surpreendente é que estão sumindo mais no campo que na cidade. Justamente onde são mais necessárias. A monocultura é uma das principais vilãs: o uso indiscriminado de agrotóxicos reduz a biodiversidade – mata não só insetos como também outros tipos de plantas.

ler mais
O Limpa-folha só existe na foto

O Limpa-folha só existe na foto

Nunca mais ouviremos o canto do Limpa-folha do Nordeste; vê-lo, só em fotos como esta. Assim como seu conterrâneo Gritador do Nordeste ele foi extinto por causa de destruição de seu habitat natural pelo agronegócio. Em menos de 30 anos, a floresta na área de Murici, em Alagoas, foi reduzida de 70 km² para 30 km².

ler mais
Extinção em massa

Extinção em massa

Estamos cada vez mais sós. Metade dos animais que um dia povoaram a Terra desapareceram. E a velocidade com que populações de espécies estão diminuindo pode levar à sexta extinção em massa. A perda do habitat natural é a principal causa. E a atividade humana, a maior agente.

ler mais
O bicho que muda hábitos

O bicho que muda hábitos

Com medo do bicho-papão, o elefante africano agora só sai de casa depois que o sol se põe. E não é a única espécie que está mudando seus hábitos por causa do ser mais destrutivo e espaçoso da natureza: o homem.

ler mais
Uma nova chance para a arara-azul-de-lear

Uma nova chance para a arara-azul-de-lear

O Instituto Chico Mendes De Conservação Da Biodiversidade (ICMBio) terminou o seu censo anual da espécie no Raso da Catarina, na Bahia, e contou 1.354 aves. Isso significa que população desse tipo de arara, ameaçada da extinção e endêmica daquela região, está se restabelecendo.

ler mais
Batatas em extinção

Batatas em extinção

Está vindo aí uma sexta extinção em massa da fauna e da flora do planeta. Isso vai influenciar diretamente no nosso cardápio e pode aumentar a fome e a desnutrição no mundo. Por exemplo: 22% das espécies de batatas devem entrar em extinção até 2055.

ler mais
Baleias fora d’água

Baleias fora d’água

Já foram 97 encalhadas no Brasil este ano, o maior número desde 2002. Só duas sobreviveram, como a que foi salva por moradores de Búzios (RJ), em agosto. Muitas morrem por engolirem lixo, enroscando-se em redes ou sendo atropeladas por embarcações – ou seja, por nosso descuido.

ler mais