nosso
Olhar


1 milhão em 2 dias

Carta de Atalanta

Governo reduz em apenas 2 dias mais de 1 milhão de hectares das Unidades de Conservação. “Após avanços significativos na redução da taxa de desmatamento e na demarcação de terras indígenas e criação de unidades de conservação na década passada – mantendo ao mesmo tempo forte crescimento econômico, safras recorde e geração de empregos –, o Brasil parece retroceder à década de 1980, quando era um pária internacional devido à destruição acelerada de seu patrimônio natural e à violência no campo”.

Este é um trecho da carta em protesto contra o ataque coordenado do Congresso Nacional e do governo de Michel Temer à proteção ambiental e aos direitos dos povos tradicionais feita pelo Observatório do Clima em sua assembleia em Atalanta (SC). O documento lista vários retrocessos feitos pelo governo nos últimos meses, no que talvez seja a maior ofensiva antiambiental desde a promulgação da Constituição de 1988.

Via: Observatório do Clima

Saiba mais: http://www.observatoriodoclima.eco.br/nenhum-hectare-a-menos/



Publicações

Garimpo ilegal está contaminando e pode matar índios Yanomami

Davi Kopenaw voltou a ONU para denunciar os perigos enfrentados pelos índios no Brasil, principalmente os...

Dia da Terra. Dia de conscientização

A nossa “pequena” tem mais de 4,5 bilhões de anos. A ONU decidiu instituir o dia...

O etnocídio, Martírio, em cartaz

O filme “Martírio”, de Vincent Carelli, Ernesto de Carvalho e Tatiana Almeida mostra a resistência ao...

Os filhos naturais do Brasil

A relação do Estado Brasileiro com os povos indígenas é de mau padrasto, embora eles sejam...

Mexeu com índio, mexeu com todo mundo

Os direitos dos povos tradicionais estão sofrendo ataques sem precedentes e a situação tende a se...

Saneamento básico pode dar lucro

De acordo com um estudo do Instituto Trata Brasil, a universalização do saneamento básico traria ao...

Sem licença para Belo Sun

O Tribunal Regional Federal do Pará, a pedido do Ministério Público Federal, suspendeu a licença de...

Biodiversidade sem fim?

É verde que não acaba mais. A capacidade de a Amazônia nos surpreender é inesgotável: a...

Belo Monte gera doenças

Segundo Bel, uma agente de saúde indígena da tribo Juruna, na região da Volta Grande do...